Liturgia diária › 21/10/2017

Sábado da 28ª Semana do Tempo Comum

1ª Leitura – Rm 4,13.16-18

Contra toda a humana esperança,
ele firmou-se na esperança.

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos 4,13.16-18

Irmãos:
13 Não foi por causa da Lei,
mas por causa da justiça que vem da fé,
que Deus prometeu o mundo como herança a Abraóo
ou à sua descendência.
16 É em virtude da fé que alguém se torna herdeiro.
Logo, a condiçóo de herdeiro é uma graça, um dom gratuito,
e a promessa de Deus continua valendo
para toda a descendência de Abraóo,
tanto para a descendência que se apega à Lei,
quanto para a que se apóia somente na fé de Abraóo,
que é o pai de todos nós.
17 Pois está escrito: ‘Eu fiz de ti pai de muitos povos’.
Ele é pai diante de Deus,
porque creu em Deus
que vivifica os mortos
e faz existir o que antes nóo existia.
18 Contra toda a humana esperança,
ele firmou-se na esperança e na fé.
Assim, tornou-se pai de muitos povos,
conforme lhe fora dito:
‘Assim será a tua posteridade’.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 104,6-7. 8-9. 42-43 (R. 8a)

R. O Senhor se lembra sempre da Aliança.

6 Descendentes de Abraão, seu servidor, *
e filhos de Jacó, seu escolhido,
7 ele mesmo, o Senhor, é nosso Deus, *
vigoram suas leis em toda a terra. R.

8 Ele sempre se recorda da Aliança, *
promulgada a incontáveis geraçðes;
9 da Aliança que ele fez com Abraóo, *
e do seu santo juramento a Isaac. R.

42 Ele lembrou-se de seu santo juramento, *
que fizera a Abraóo, seu servidor.
43 Fez sair com grande júbilo o seu povo, *
e seus eleitos, entre gritos de alegria. R.

Evangelho – Lc 12,8-12

Nessa hora o Espírito Santo vos ensinará
o que deveis dizer.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 12,8-12

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
8 Todo aquele que der testemunho de mim diante dos homens,
o Filho do Homem também dará testemunho dele
diante dos anjos de Deus.
9 Mas aquele que me renegar diante dos homens,
será negado diante dos anjos de Deus.
10 Todo aquele que disser alguma coisa
contra o Filho do Homem
será perdoado.
Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo
não será perdoado.
11 Quando vos conduzirem diante das sinagogas,
magistrados e autoridades,
não fiqueis preocupados como ou com que vos defendereis,
ou com o que direis.
12 Pois nessa hora o Espírito Santo vos ensinará
o que deveis dizer.’
Palavra da Salvação.

Reflexão – Lc 12, 8-12

Hoje, o Senhor desperta nossa fé e esperança Nele. Jesus nos antecipa que teremos que comparecer ante o exército celestial para sermos examinados. E aquele tenha se declarado a favor de Jesus aderindo a sua missão «também o Filho do homem se declarará por Ele» (Lc 12,8). Tal confissão pública se realizará em palavras, em atos e durante toda a vida.

Esta interpelação à confissão é ainda mais necessária e urgente em nossos tempos, nos que há pessoas que não querem escutar a voz de Deus nem seguir seu caminho de vida. No entanto, a confissão de nossa fé terá a um forte seguimento. Portanto, não sejamos confessores nem por medo de um castigo, que será mais severo para os apóstatas, nem pela abundante recompensa reservada aos fieis. Nosso testemunho é necessário e urgente para a vida do mundo, Deus mesmo nos pede, tal como disse São Juan Crisóstomo: «Deus não se contenta com a fé interior; Ele pede a confissão exterior e pública, e nos move assim a uma confiança e a um amor maior».

Nossa confissão é sustentada pela força e pela garantia de seu Espírito que está ativo dentro de nós e que nos defende. O reconhecimento de Jesus Cristo ante seus anjos é de vital importância já que este feito nos permitirá vê-lo cara a cara, viver com Ele e ser inundados de sua luz. Ao mesmo tempo, o contrário não será outra coisa que sofrer e perder a vida, ficar privado da luz e despojado de todos os bens. Peçamos, pois, a graça de evitar toda negação nem que seja por medo ao suplício ou por ignorância; pelas heresias, pela fé estéril e pela falta de responsabilidade, ou porque queremos evitar o martírio. Sejamos fortes, o Espírito Santo está conosco! E «com o Espírito Santo está sempre Maria (…) e Ela tem feito possível a explosão missionária produzida em Pentecostes» (Papa Francisco).

Colaboração: Padre Adriano Francisco da Silva, IVE

Fonte: CNBB