Liturgia diária › 14/12/2017

5ª feira da 2ª Semana do Advento

S. João da Cruz PresbDr, memória

1ª Leitura – Is 41,13-20

Eu sou o teu Salvador, o Santo de Israel.

Leitura do Livro do Profeta Isaías 41,13-20

13 Eu sou o Senhor, teu Deus,
que te tomo pela mão
e te digo: ‘Não temas;
eu te ajudarei.
14 Não tenhas medo, Jacó, pobre verme,
não temais, homens de Israel.
Eu vos ajudarei’, diz o Senhor
e Salvador, o Santo de Israel.
15 Eis que te transformei num carro novo de triturar,
guarnecido de dentes de serra.
Hás de triturar e despedaçar os montes,
e reduzirás as colinas a poeira.
16 Ao expô-los ao vento, o vento os levará
e o temporal os dispersará;
exultarás no Senhor
e te alegrarás no Santo de Israel.
17 Pobres e necessitados procuram água, mas não há,
estão com a língua seca de sede.
Eu, o Senhor, os atenderei,
eu, Deus de Israel, não os abandonarei.
18 Farei nascer rios nas colinas escalvadas
e fontes no meio dos vales;
transformarei o deserto em lagos
e a terra seca em nascentes d’água.
19 Plantarei no deserto o cedro,
a acácia e a murta e a oliveira;
crescerão no ermo o pinheiro,
o olmo e o cipreste juntamente,
20 para que os homens vejam e saibam,
considerem e compreendam
que a mão do Senhor fez essas coisas
e o Santo de Israel tudo criou.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 144 (145), 1.9. 10-11. 12-13ab (R. 8)

R. Misericórdia e piedade é o Senhor!
Ele é amor, é paciência, é compaixão.

1 Ó meu Deus, quero exaltar-os, ó meu Rei,*
e bendizer o vosso nome pelos séculos.
9 O Senhor é muito bom para com todos,*
sua ternura abraça toda criatura. R.

10 Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem,*
e os vossos santos com louvores vos bendigam!
11 Narrem a glória e o esplendor do vosso reino*
e saibam proclamar vosso poder! R.

12 Para espalhar vossos prodígios entre os homens*
e o fulgor de vosso reino esplendoroso.
13a O vosso reino é um reino para sempre,*
13b vosso poder, de geração em geração. R.

Evangelho – Mt 11,11-15

Não surgiu nenhum maior do que João Batista.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 11,11-15

Naquele tempo, disse Jesus à multidão:
11 Em verdade eu vos digo,
de todos os homens que já nasceram,
nenhum é maior do que João Batista.
No entanto, o menor no Reino dos Céus é maior do que ele.
12 Desde os dias de João Batista até agora,
o Reino dos Céus sofre violência,
e são os violentos que o conquistam.
13 Com efeito, todos os profetas e a Lei
profetizaram até João.
14 E se quereis aceitar, ele é o Elias que há de vir.
15 Quem tem ouvidos, ouça.
Palavra da Salvação.

Reflexão – Mt 11, 11-15

Hoje, ao celebrar São João da Cruz, descobrimos um espelho em que vemos o nosso reflexo. Mas quando os santos são um espelho, acabamos por descobrir que não damos tudo a Deus, que somos egoístas e que na nossa vida há pouca oração. Ver os santos causa-nos medo, porque são profetas que chamam à conversão e nos recordam as palavras impressionantes de Jesus: «Quem não carrega a sua cruz e me segue, não pode ser meu discípulo» (Lc 14,27).

São João da Cruz ajuda-nos a ver o caminho a percorrer e anima-nos a voltar para o Mestre, mesmo que nos encontremos na noite do pecado e da tibieza. S. João da Cruz sentiu o amor divino; ele, pequeno de estatura, foi grande no sofrimento; já o seu próprio nome o indica: “João da Cruz”. De uma cruz que leva a grandes dons divinos, que muitos desejam obter, mas sem ter de passar pelo caminho estreito que a eles conduz. Levamos a cruz porque não temos outro remédio, mas queixamo-nos e protestamos pelo peso que temos de carregar, e vemos a vida como uma má noite numa má pousada.

Há pessoas que realmente levam a sua cruz e o fazem com alegria, porque são capazes de amar: são os santos. Será que eles não tiveram problemas? É claro que tiveram!, mas abriram-se a um olhar diferente, porque souberam onde está a fonte de vida que sempre brota. Os santos são um modelo, mas não querem que os sigamos a eles, mas a Jesus Cristo; S. João da Cruz afirma-o muito bem quando diz: «Nunca tomes o homem por exemplo quanto ao que tiveres de fazer, por mais santo que seja, porque o demônio te porá diante das suas imperfeições, imita antes Jesus Cristo, que é sumamente perfeito e sumamente santo e nunca errarás».

Colaboração: Padre Adriano Francisco da Silva, IVE

Fonte: CNBB