Liturgia diária › 15/08/2017

3ª feira da 19ª Semana do Tempo Comum

1ª Leitura – Dt 31,1-8

Sê forte e corajoso,
pois és tu que introduzirás este povo na terra.

Leitura do Livro do Deuteronômio 31,1-8 1

Moisés dirigiu-se a todo Israel
com as seguintes palavras:
2 ‘Tenho hoje cento e vinte anos
e já não posso deslocar-me.
Além do mais, o Senhor me disse:
‘Não atravessarás este rio Jordão’,
3 ‘É o Senhor teu Deus que irá à tua frente;
ele mesmo, à tua vista, destruirá todas essas nações,
para que ocupes suas terras.
Josué passará adiante de ti, como disse o Senhor.
4 E o Senhor fará com esses povos
o que fez com Seon e Og, reis dos amorreus,
e com suas terras, que ele destruiu.
5 Quando, pois, o Senhor os entregar a vós,
fareis com eles exatamente o que vos ordenei.
6 Sede fortes e valentes;
não vos intimideis nem tenhais medo deles,
pois o Senhor teu Deus é ele mesmo o teu guia,
e não te deixará nem te abandonará’.
7 Depois Moisés chamou Josué
e, diante de todo Israel, lhe disse:
‘Sê forte e corajoso,
pois és tu que introduzirás este povo na terra
que o Senhor sob juramento prometeu dar a seus pais,
e és tu que lhe darás a posse dela.
8 O Senhor, que é o teu guia, marchará à tua frente,
estará contigo e não te deixará nem te abandonará.
Por isso, não temas nem te acovardes’.
Palavra do Senhor.

Salmo – Dt 32,3-4a. 7. 8. 9.12 (R.9a)

R. A porção do Senhor é o seu povo.

3 O nome do Senhor vou invocar; *
vinde todos e dai glória ao nosso Deus!
4 Ele é a Rocha: suas obras são perfeitas. R.

7 Recorda-te dos dias do passado *
e relembra as antigas gerações;
pergunta, e teu pai te contará, *
interroga, e teus avós te ensinarão. R.

8 Quando o Altíssimo os povos dividiu *
e pela terra espalhou os filhos de Adão,
as fronteiras das nações ele marcou *
de acordo com o número de seus filhos; R.

9 mas a parte do Senhor foi o seu povo, *
e Jacó foi a porção de sua herança.
12 O Senhor, somente ele, foi seu guia, *
e jamais um outro deus com ele estava. R.

Evangelho – Mt 18,1-5.10.12-14

Não desprezeis nenhum desses pequeninos.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 18,1-5.10.12-14

Naquele tempo:
1 Os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram:
‘Quem é o maior no Reino dos Céus?’
2 Jesus chamou uma criança, colocou-a no meio deles
3 e disse: ‘Em verdade vos digo,
se não vos converterdes, e não vos tornardes como crianças,
não entrareis no Reino dos Céus.
4 Quem se faz pequeno como esta criança,
esse é o maior no Reino dos Céus.
5 E quem recebe em meu nome uma criança como esta,
é a mim que recebe.
10 Não desprezeis nenhum desses pequeninos,
pois eu vos digo que os seus anjos nos céus
vêem sem cessar a face do meu Pai que está nos céus.
12 Que vos parece?
Se um homem tem cem ovelhas, e uma delas se perde,
não deixa ele as noventa e nove nas montanhas,
para procurar aquela que se perdeu?
13 Em verdade vos digo, se ele a encontrar,
ficará mais feliz com ela,
do que com as noventa e nove que não se perderam.
14 Do mesmo modo, o Pai que está nos céus
não deseja que se perca nenhum desses pequeninos.
Palavra da Salvação.

Reflexão – Mt 18, 1-5.10.12-14

Hoje Jesus nos exorta: “Jesus chamou uma criança, colocou-a no meio deles e disse: ‘Em verdade vos digo, se não vos converterdes, e não vos tornardes como crianças, não entrareis no Reino dos Céus’” (Mateus 18,2-3).

Essa é a sentença de Jesus para cada um de nós, é uma sentença dita em alto e bom som, é uma verdade. Ninguém entra no Reino de Deus sem a conversão, sem a mudança de vida, de comportamento e atitude. Vida passiva não leva ninguém para o Reino dos Céus.

As crianças nascem puras, ainda com a marca original, que é apagada pelo batismo, mas à medida em que crescemos, deveríamos nos tornar melhores. No entanto, infelizmente, o mundo nos deforma. À medida que vamos crescendo, conhecemos a maldade do mundo e deixamo-nos contaminar, contagiar e nos levar pelos vícios, pelo maus costumes, por coisas erradas que entram em nós, deixamo-nos levar por sentimentos impuros e maldosos.

Pegue uma criança no colo e veja que não há maldade nela. Há uma beleza, uma pureza, não há corrupção do mal, não há uma mente maliciosa nem perversa, por isso, se não nos convertermos nem nos tornarmos como uma criança, se não recuperarmos a pureza, a bondade, a generosidade de uma criança, mas ficarmos com nosso jeito adulto, egoísta, orgulhoso, avarento e todos aqueles males que a vida adulta foi nos dando, não entraremos no Reino dos Céus.

Eu amo pegar crianças no colo, porque elas são para mim o toque da graça e da conversão. Pegar uma criança é tocar na pureza. Digo mais: não podemos permitir que tirem a pureza de nossas crianças. É uma indecência, um escândalo o que, muitas vezes, estamos vendo fazer com nossas crianças na televisão, nas redes sociais! Já estão ensinando para elas, desde pequenas, a depravação do mundo. É um escândalo e uma agressão a Deus e a Sua graça no meio de nós.

Cuidemos de nossas crianças e as amemos, tornemo-nos como elas, porque o Reino de Deus é de quem se parece com elas.

Colaboração: Padre Adriano Francisco da Silva, IVE

Fonte: CNBB