Igreja no Brasil

Por que agosto é o mês vocacional?

A12 › 09/08/2019

O mês de agosto é tempo especial de motivação das vocações para a Igreja

Todo ano em agosto celebramos em nossas Igrejas o Mês Vocacional. Mas, você já parou para se perguntar por que temos essas comemorações no Brasil?

Em 1981, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em sua 19ª Assembleia Geral, instituiu agosto como o Mês Vocacional. O objetivo principal era o de conscientizar as comunidades da responsabilidade que compartilham no processo vocacional. É por isso que cada domingo do mês de agosto é dedicado à celebração de uma determinada vocação.

No primeiro domingo é destacada a vocação do ministério ordenado, lembrando a vida e missão do presbítero e diácono. Essa celebração é feita em data próxima ao dia de Santo Cura d’Ars, padroeiro dos presbíteros seculares.

Na “Semana da Família”, segunda semana do mês de agosto, é celebrada a vocação ao matrimônio e a missão da família, em data próxima ao Dia dos Pais.

Em sintonia com a Festa da Assunção de Maria, na terceira semana de agosto, é valorizada a vocação e o sentido da vida consagrada, lembrando os religiosos e religiosas.

O quarto domingo do mês de agosto lembra e valoriza todos a vocação dos leigos e leigas, em especial, os catequistas, que celebram o seu dia nessa data.

Mesmo após 35 anos da instituição do Mês Vocacional, o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB, dom Jaime Spengler, diz que ainda é preciso criar uma cultura vocacional na juventude católica.

“Quando falamos de vocação ou de cultura vocacional, quase sempre temos em mente os ministérios ordenados ou a vida consagrada. Na verdade, trata-se de uma compreensão muito mais ampla da questão. Quanto é necessário, por exemplo, que nas diversas dimensões da vida social haja pessoas leigas, comprometidas com a fé, dispostas a cooperar em construir um mundo um pouco melhor para as futuras gerações”, afirmou em entrevista ao site da CNBB, ressaltando:

“Urge apresentar aos jovens e adolescentes os distintos caminhos do serviço do Senhor e do seu Reino: como leigos engajados nos diversos âmbitos da vida social; casados que assumem o compromisso do matrimônio; consagrados por causa do Reino dos Céus; e ministros ordenados a serviço do povo, nas diversas comunidades de fé”.

Por A12

Comentários

*O Católico Digital não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Newsletter

Cadastre-se e receba as últimas notícias do Católico Digital diretamente em seu e-mail!