Paróquias

Paróquias celebram Santo Antônio de 10 a 13 de junho

Católico Digital › 03/06/2019

Venerado popularmente como Santo que ajuda a arranjar casamentos, Santo Antônio de Pádua é festejado de 10 a 13 de junho em duas paróquias em Itu (SP).

Comunidade Santo Antônio, pertencente a Paróquia Senhor do Horto e São Lázaro, festeja seu padroeiro com tríduo preparatório nos dias 10, 11 e 12 de junho, e procissão solene, seguida de missa com benção dos pães, no dia 13 de junho.

Confira a programação completa:

10/06 (2ª feira) – 1º Dia do Tríduo 
19h30: Santa Missa, Comunidade Santo Antônio

11/06 (3ª feira) – 2º Dia do Tríduo 
19h30: Santa Missa, Comunidade Santo Antônio

12/06 (4ª feira) – 3º Dia do Tríduo 
19h30: Santa Missa, Comunidade Santo Antônio

13/06 (5ª feira) – Dia de Santo Antônio 
19h30: Procissão Solene, saindo da Comunidade Santo Antônio em direção à Igreja Matriz Senhor do Horto e São Lázaro, onde ocorrerá a Santa Missa, com a benção dos pães. Após a missa, haverá venda do bolo casamenteiro, pastel e bebidas.

A Comunidade Santo Antônio está localizada à Rua Justo dos Santos Nunes, s/n, na Vila Guido, em Itu (SP).

Já a Paróquia N. S. Candelária celebra Santo Antônio com missas, nos dias 11 e 12 de junho, às 7h e no dia 13 de junho, às 7h e 19h. A distribuição dos pães de Santo Antônio ocorrerá após as celebrações do dia 13 de junho e a procissão após a missa das 19h.

O tradicional bolo de Santo Antônio será vendido durante todo o dia 13 de junho no salão da paróquia.

Confira a programação:

11/06 (3ª feira)
7h: Santa Missa

12/06 (4ª feira) 
7h: Santa Missa

13/06 (5ª feira) – Dia de Santo Antônio 
7h: Santa Missa e distribuição de pães, após a celebração.
19h: Missa Solene e distribuição de pães, após a celebração. Em seguida, haverá procissão ao redor da Praça Padre Miguel.

A Paróquia Nossa Senhora da Candelária fica localizada à Rua Barão do Itaim, nº 90, no Centro, em Itu (SP).

Santo Antônio de Pádua

Santo Antônio de Pádua era português, nasceu em 1195, em Lisboa. De família muito rica e da nobreza, ingressou muito jovem na Ordem dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho. Fez seus estudos filosóficos e teológicos em Coimbra e foi lá também que se ordenou sacerdote. Nesse tempo, ainda estava vivo Francisco de Assis e os primeiros frades dirigidos por ele chegavam a Portugal.

Empolgado com o estilo de vida e de trabalho dos franciscanos, resolveu também ir pregar no Marrocos. Entrou na Ordem, vestiu o hábito dos franciscanos e tomou o nome de Antônio.

Entretanto, seu destino não parecia ser o Marrocos. Por causa de algumas desventuras, Antônio acabou desembarcando na Ilha da Sicília e de lá rumou para Assis, a fim de se encontrar com seu inspirador e fundador da Ordem: Francisco.

Com apenas vinte e seis anos de idade, foi eleito Provincial dos franciscanos do norte da Itália, mas não ficou nesta função por muito tempo. Seu desejo era pregar e rumou pelos caminhos da Itália setentrional, praticando a caridade, catequizando o povo simples, dando assistência espiritual aos enfermos e excluídos e até mesmo organizando socialmente essas comunidades. Pregava contra as novas formas de corrupção nascidas do luxo e da avareza dos ricos e poderosos das cidades, onde se disseminaram filosofias heréticas.

Após as pregações da Quaresma de 1231, sentiu-se cansado e esgotado. Precisava de repouso. Resolveram levá-lo para Pádua, mas Antônio faleceu na viagem. Era dia 13 de junho de 1231 e Antônio tinha apenas 36 anos de idade.

Ele é venerado popularmente por ajudar a arranjar casamentos. No Brasil, ele é homenageado numa das festas mais alegres e populares, as festas juninas. Antônio é também conhecido pelos seus milagres.

Comentários

*O Católico Digital não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Newsletter

Cadastre-se e receba as últimas notícias do Católico Digital diretamente em seu e-mail!