Diocese de Jundiaí

Paróquia N. S. Aparecida celebra dedicação do Altar e da Igreja, em Salto

Diocese de Jundiaí › 27/09/2017

No dia 24 de setembro a comunidade paroquial de Nossa Senhora Aparecida celebrou a “Dedicação do Altar e da Igreja”, em missa presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Vicente Costa e concelebrada pelo pároco, Padre Luiz Marin, com auxilio dos diáconos, ministros e seminarista.

A celebração que marca a vida de um templo, chamada de “dedicação”, é na verdade, uma consagração. Toda igreja é dedicada por excelência à Santíssima Trindade, a Nosso Senhor Jesus Cristo e seus títulos; ao Espírito Santo, a Santíssima Virgem, aos Santos Anjos, aos santos inscritos no Martirológio Romano.

O rito é muito rico de significados. Normalmente, o bispo é quem dedica a nova igreja. Ali acontece a aspersão da água benta, as unções do altar e das paredes do edifício, a incensação, a deposição das relíquias no altar, a iluminação e, é claro, o rito da Palavra e da Eucaristia.

Parte por parte, a água aspergida logo no início é um clamor para que todo local seja purificado, lavado por Deus, tanto as paredes quanto cada fiel que participar. É um rito penitencial, por isso não há o ato penitencial como de costume.

As unções do altar e das paredes ungem aquela mesa que será usada para o sacrifício eucarístico. A unção ainda exala aquele agradável odor do qual todo cristão é chamado a exalar, o odor de Cristo (2Cor 2,15).

O incenso, a fumaça que sobe aos céus são as orações, os pedidos elevados ao Pai. Desde os primeiros séculos, celebrava-se nas catacumbas sobre as relíquias dos mártires, os santos que deram a vida por amor a Jesus Cristo; assim, a deposição das relíquias no altar nos recorda a doação, a entrega dos santos como resposta ao amor divino.

A iluminação: Cristo é a Luz que ilumina, a Luz por excelência que tirou a todos da escuridão. Por Ele todos são iluminados e também por Ele cada cristão deve iluminar onde chegar, levando a luz que é Cristo.

O rito de dedicação de uma igreja diz muito da fé cristã. É uma celebração que deve ser vivida com muita piedade e atenção.

Colaboração e créditos (foto): Pascom Paróquia Nossa Senhora Aparecida – Salto (SP) 

Por Diocese de Jundiaí 

Comentários

*O Católico Digital não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Newsletter

Cadastre-se e receba as últimas notícias do Católico Digital diretamente em seu e-mail!