Diocese de Jundiaí

Fiéis recordam 22º ano da morte da Serva de Deus Maria de Lourdes Guarda

Diocese de Jundiaí › 10/05/2018

No último domingo (06/05), a comunidade paroquial de Nossa Senhora do Monte Serrat se reuniu para celebrar uma missa em memória do 22º ano da morte da Serva de Deus Maria de Lourdes Guarda, em Salto (SP). A Celebração Eucarística foi presidida pelo Padre Silvio Andrei Rodrigues e contou com a presença dos fiéis da Diocese de Jundiaí e membros da Pastoral das Pessoas com Deficiência.

Durante a homilia, o Padre Silvio destacou a vida e missão de Maria de Lourdes, recordando que, com sua vida e atividades, Maria de Lourdes foi uma voz de Deus. “Que a Missão que foi dada por Deus a Maria de Lourdes seja conhecida  por meio de seu exemplo, de sua santidade, para que assim, a santidade de Deus possa estar mais presente nesse nosso mundo”, concluiu o presbítero.

Vida e Obra da Serva de Deus

Maria de Lourdes Guarda nasceu em Salto, Estado de São Paulo, aos 22 de novembro de 1926. Filha de Innocêncio Guarda e Júlia Froner Guarda. Estudou como interna no Colégio do Patrocínio, das Irmãs de São José, em Itu (SP). Lecionou em Salto (SP), aos 18 anos, no Colégio Congregação das Filhas de São José (D. Caburlotto). Sonhava em seguir os passos de sua irmã na vida religiosa, mas, primeiramente, precisava tratar um problema na coluna, uma lesão que lhe causava muita dor. Foi operada em 12 de agosto de 1947, mas, como as dores não passavam, precisou submeter-se a novas cirurgias. Em cinco anos sofreu seis operações, como tentativas frustadas de fazê-la andar. Com o pé direito gangrenando e outras complicações na coluna, nas operações sucessivas, a perna foi sendo amputada até acima do joelho. Os ossos dos quadris foram extraídos, o que provocou a atrofia e imobilidade total da perna esquerda, que passou a precisar de uma armação de madeira, como proteção para não paralisar a circulação sanguínea. Pode-se imaginar a reação de uma jovem cheia de vida e de planos para o futuro, ao saber-se totalmente imobilizada em uma cama, sem ao menos poder se sentar, engessada, por trás, numa canaleta, do joelho ao pescoço.

Em agosto de 1972, no Hospital Matarazzo, celebrou os seus 25 anos de internação. Assume a sua condição de pessoa com deficiência e, embora deitada, trabalha para pagar as diárias hospitalares, fazendo tricô e bordados sob encomenda. Seu quarto é um ponto de encontro e de atração, que reúne não só amigos, mas pessoas de todas as classes, que buscam consolo e ajuda para as suas carências. Sua alegria e paz de espírito se irradiam cada vez mais para além das paredes do quarto.

Ao aceitar e assumir a sua realidade de paraplégica abre espaço para acolher a graça de Deus, e tem a mesma experiência do Apóstolo Paulo, 2º Cor 12,9: “Basta-te a minha graça, pois é na fraqueza que minha força manifesta todo o seu poder”. Dessa época os amigos recordam seu rosto sadio, corado, olhos azuis, brilhantes, e suas palavras: “nenhuma deficiência é impedimento para a vida”. Enfim, se engaja na FCD – Fraternidade Cristã de Pessoas com Deficiência – movimento internacional, fundado na França. Em 1981, foi eleita Coordenadora Nacional e, no ano seguinte, começou a viajar, tanto no Brasil como na América Latina, graças a doações de passagens de uma empresa aérea, formando, no território nacional, mais de 250 grupos da Fraternidade. Em 1992, terminou o seu mandato como Coordenadora, deixando este movimento de evangelização espalhado pelo país. Faleceu aos 5 de maio de 1996 e seus ossos foram solene e oficialmente transladados, em 30 de setembro de 2011, como Serva de Deus, para o altar da Sagrada Família, na Paróquia Nossa Senhora do Monte Serrat, em Salto (SP).

Oração pela Canonização da Serva de Deus Maria de Lourdes Guarda

Ó Pai, criador de todas as coisas, que nos destes em Vossa filha, Maria de Lourdes Guarda, um extraordinário exemplo de aceitação plena de Vossa vontade, dando testemunho de que, mesmo nos maiores sofrimentos e limitações físicas, pode-se viver o ideal evangélico da fé, esperança e caridade, concedei-nos que ela seja elevada por Vossa Igreja, à glória dos altares, e por sua intercessão a graça que necessito…
Nós Vos pedimos, por Jesus Cristo Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Amém.
Pai Nosso, Ave-Maria, Glória. 

A todos que obtiverem graças por intercessão da Serva de Deus, deve-se comunicar, à Causa de Canonização SD. Maria de Lourdes: Caixa Postal 21 – CEP 13208-970 – Jundiaí (SP).

No último domingo (06/05), fiéis recordaram 22º ano da morte de Maria de Lourdes Guarda, em Salto (SP)

Por Diocese de Jundiaí (adaptado por Católico Digital)

Comentários

*O Católico Digital não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Newsletter

Cadastre-se e receba as últimas notícias do Católico Digital diretamente em seu e-mail!