Paróquias

Festa em louvor à São José ocorre de 10 a 19 de março

Católico Digital › 13/03/2018

Escolhido por Deus para ser o patrono de toda a Igreja de Cristo, São José é festejado em duas comunidades no mês de março. 

Em Itu (SP), a Paróquia São José celebra de 10 a 19 de março as festividades em louvor ao seu padroeiro.

A programação religiosa conta com tríduo preparatório entre os dias 16 e 18 de março e missa festiva, no dia 19, às 8h30 e 19h. A procissão ocorrerá no domingo, dia 18 de março, às 17h, seguida de missa.

Já a comemoração social da festa acontece nos dias 10, 11, 17 e 18 de março e contará com diversas barracas, além de shows musicais, a partir das 19h.

Confira a programação completa:

10 de março (sábado)
19h: Abertura da Festa de São José (quermesse)

11 de março (domingo)
19h: Festa de São José (quermesse)

16 de março (6ª feira)
19h: Missa (1º Dia do Tríduo)

17 de março (sábado)
18h30: Missa (2º Dia do Tríduo)
19h30: Festa de São José (quermesse)

18 de março (domingo)
17h: Procissão seguida de Missa (3º Dia do Tríduo)
19h: Festa de São José (quermesse)

19 de março (2ª feira): Dia de São José 
8h30: Missa
19h: Missa

A Paróquia São José está localizada à Praça Dom Gabriel Paulino Bueno Couto, s/n, na Vila São José, em Itu (SP).

Mais informações pelo telefone (11) 2715-2480.

Já em Salto (SP), os fiéis da Comunidade São José, pertencente a Paróquia Nossa Senhora do Monte Serrat, celebram o protetor da Sagrada Família com tríduo nos dias 16 e 17 de março, às 19h30, e no dia 18, às 8h, e encerram a programação religiosa no dia 19 de março, às 19h30, com missa e procissão.

A programação social da festa ocorre nos dias 16 e 17 de março e contará com barracas de pastel, mini pizza, doce e refrigerante, após as celebrações.

Confira a programação completa:

16 de março (6ª feira)
19h30: Missa (1º Dia do Tríduo)

17 de março (sábado)
19h30: Missa (2º Dia do Tríduo)

18 de março (domingo)
8h: Missa (3º Dia do Tríduo)

19 de março (2ª feira): Dia de São José 
19h30: Missa e Procissão

A Comunidade São José fica na Avenida dos Peixes, nº 449, no bairro Salto de São José, em Salto (SP).

Mais informações pelo telefone (11) 4029-5297.

São José 

Esposo da Virgem Maria, modelo de pai e esposo, protetor da Sagrada Família, São José foi escolhido por Deus para ser o patrono de toda a Igreja de Cristo. Seu nome, em hebraico, significa “Deus cumula de bens”.

Pouco conhecemos sobre a vida de São José; unicamente as rápidas referências transmitidas pelos evangelhos. Este pouco, contudo, é o suficiente para destacar seu papel primordial na história da salvação.

José é o elo de ligação entre o Antigo e o Novo Testamento. É o último dos patriarcas. Para destacar este caráter especial de José, o evangelho de S. Mateus se apraz em atribuir-lhe “sonhos”, a exemplo dos grandes patriarcas, fundadores do povo judeu. A fuga de José com sua família para o Egito repete, de certa forma, a viagem do patriarca José, para que nele e em seu filho Jesus se cumprisse o novo Êxodo.

Diz-se que casou-se com Maria aos 30 anos de idade. Diz-se também que morreu aos 60 anos de idade, antes do início da vida pública de seu Filho Jesus Cristo.

Sabemos que ele era um carpinteiro, um trabalhador, tanto que, em Nazaré, perguntaram em relação a Jesus, “Não é este o filho do carpinteiro?”. Ele não era rico, tanto que, quando ele levou Jesus ao Templo para ser circuncidado, e Maria para ser purificada, ele ofereceu o sacrifício de um par de rolas ou dois pombinhos, permitido apenas àqueles que não tinham condições de comprar um cordeiro.

A missão de José na história da salvação consistiu em dar a Jesus um nome, fazê-lo descendente da linhagem de Davi, como era necessário para cumprir as promessas. Sua pessoa fica na penumbra, mas o Evangelho nos indica as fontes de sua grandeza interior: era um “homem justo”, de uma fé profunda, inteiramente disponível à vontade de Deus, alguém que “esperou contra toda esperança”.

Sua figura quase desapareceu nos primeiros séculos do cristianismo, para que se firmasse melhor a origem divina de Jesus. Mas já na Idade Média, S. Bernardo, Sto. Alberto Magno e S. Tomás de Aquino lhe dedicaram tratados cheios de devoção e entusiasmo. Desde então, seu culto não tem feito senão crescer continuamente.

Pio IX declarou-o padroeiro da Igreja universal. Leão XIII propunha-o como advogado dos lares cristão. Em nossos dias foi declarado modelo dos operários.

Que assim como ele, possamos ser dóceis à Palavra e à vontade do Senhor.

Créditos (imagem): Gráfica Gavioli

Comentários

*O Católico Digital não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Newsletter

Cadastre-se e receba as últimas notícias do Católico Digital diretamente em seu e-mail!