Paróquias

Festa em louvor à Santa Rita de Cássia ocorre de 16 a 22 de maio em Itu

Católico Digital › 10/05/2019

A Comunidade Santa Rita de Cássia, pertencente a Paróquia Nossa Senhora da Candelária, celebra de 16 a 22 de maio as festividades em louvor a sua padroeira, em Itu (SP).

A programação religiosa conta com missas solenes no dia 22 de maio, dia litúrgico de Santa Rita de Cássia, às 8h e 19h30 e tríduo festivo nos dias 16 e 17 de maio, com missas às 19h30, e no dia 18, às 19h. No domingo, dia 19 de maio, as missas ocorrem às 7h e 9h30 e a procissão às 17h.

Já a quermesse, com diversas barracas, acontece nos dias 18 e 19 de maio, com início às 10h, no Largo do Quartel de Itu (SP). Os interessados em ajudar com doações para a festa podem entregar na Igreja, na Casa de Santa Rita ou aos Festeiros.

Confira a programação completa:

16/05 (5ª feira) – 1º Dia do Tríduo 
19h30: Santa Missa

17/05 (6ª feira) – 2º Dia do Tríduo 
19h30: Santa Missa

18/05 (sábado) – 3º Dia do Tríduo 
10h: Início da Quermesse no Largo do Quartel de Itu (SP)
19h: Santa Missa

19/05 (domingo) 
7h: Missa Festiva
9h30: Missa Solene
10h: Início da Quermesse no Largo do Quartel de Itu (SP)
11h: Leilão de Boizinhos no Largo do Quartel de Itu (SP)
17h: Procissão

22/05 (4ª feira) – Dia Litúrgico de Santa Rita de Cássia
8h: Missa Festiva
19h30: Missa Solene

A Capela de Santa Rita de Cássia está localizada à Rua Santa Rita, s/n, no Centro, em Itu (SP).

Mais informações pelos telefones (11) 4023-7343 ou 4013-0517.

Santa Rita de Cássia

Rita nasceu no ano de 1381, na cidade de Cássia. Na infância, manifestou sua vocação religiosa, mas para atender aos desejos de seus pais, já idosos, Rita casou-se com um homem de nome Paulo Ferdinando.

Seu marido tornou-se violento e agressivo. A tudo ela suportava com paciência e oração. A penitência e a abnegação de Rita conseguiriam convertê-lo aos preceitos de amor a Cristo. Entretanto, suas atitudes passadas deixaram um rastro de inimizades, que culminaram com seu assassinato, trazendo grande dor e sofrimento ao coração de Rita.

Dedicou-se então aos dois filhos ainda pequenos que, na adolescência, descobriram a verdadeira causa da morte do pai e resolveram vingá-lo quando crescessem. Rita pediu a interferência de Deus, para tirar tal ideia da cabeça dos filhos. Se isso não fosse possível, que Deus os levasse para junto Dele. Em menos de um ano, os dois filhos de Rita morreram, sem concretizarem a vingança.

Rita ficou sozinha no mundo e decidiu dar um novo rumo à sua vida. Determinada, resolveu seguir a vocação revelada ainda na infância: tornar-se monja agostiniana.

Ela se entregou completamente a uma vida de orações e penitências, com humildade e obediência total às regras agostinianas. Sua fé era tão intensa que na sua testa apareceu um espinho da coroa de Cristo, estigma que a acompanhou durante catorze anos.

Rita morreu no ano de 1457, aos setenta e seis anos, em Cássia. Sua fama de santidade atravessou os muros do convento e muitos milagres foram atribuídos à sua intercessão. Os fiéis a consideram a “Santa das Causas Impossíveis”.

Comentários

*O Católico Digital não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Newsletter

Cadastre-se e receba as últimas notícias do Católico Digital diretamente em seu e-mail!