Igreja no Mundo

Campanha de Natal da Ajuda à Igreja que Sofre em favor da Síria e Venezuela

Vatican News › 19/12/2019

Duas situações diferentes, um sofrimento igual e a mesma necessidade desesperada de ajuda. A Fundação de direito Pontifício Ajuda à Igreja que Sofre lançou uma campanha de Natal de coleta de fundos em favor das populações da Venezuela e Síria. Duas religiosas italianas em missão há 40 anos nestes dois países, endossam a campanha através de seu testemunho sobre a situação ali vivida enviado à AIS intitulado: “Não nos abandone no Natal”

“A Síria e a Venezuela há muito se precipitaram no abismo de uma guerra sem fim, de uma profunda miséria e de uma opressão inaceitável”, escrevem Irmã Arcangela Orsetti e Irmã Patrizia Andrizzi, missionárias italianas em Aleppo e La Guaira, na carta mensal enviada pela Ajuda à Igreja que Sofre a seus benfeitores italianos, em apoio à campanha de Natal dedicada pela Fundação Pontifícia a esses dois países.

De fato, neste Natal de 2019 a AIS apoiará dois projetos diferentes. Na Síria, a Fundação fornecerá ajuda alimentar e óleo necessário para o aquecimento para 5.500 famílias que vivem em Damasco, Aleppo, Homs e Hassaké.

Venezuela

Na Venezuela, por outro lado, a AIS dará de comer a cerca de 10.000 pessoas que vivem em Caracas, La Guaira, San Carlos, Mérida e Ciudad Bolivar, apoiando as “panelas solidárias”, ou seja, as refeições organizadas por quase todas as paróquias para oferecer aos venezuelanos a única refeição do dia.

“Na Venezuela, a Igreja está diariamente ao lado daqueles que não têm mais nada para viver, por causa do regime que está fazendo o país passar fome. Neste contexto, a prioridade de cada dia é poder oferecer uma refeição a milhares de pessoas pobres, para que não batam à nossa porta em vão”, escreve a irmã Patrizia, originária de Rimini, mas nos últimos 40 anos em missão na Venezuela. Em La Guaira, todas as crianças já conhecem seu agora famoso ragù. Quase todos os dias a missionária das Irmãs de Maria Imaculada acolhe cerca de 55 crianças com um sorriso muito doce e um prato quente. “Ficam todos felizes em comer aquele macarrão vermelho da freira! Muitos deles praticamente não têm comida em casa”.

Síria

Já a irmã Arcangela administra, juntamente com outras cinco religiosas das Irmãs de São José da Aparição, o hospital de Saint Louis de Aleppo, no qual assistiu milhares de feridos nesses longos anos de conflito. A religiosa de Lucca vive na cidade síria há mais de 40 anos e soube reagir ao desespero da guerra, transformando objetos de morte, como cartuchos de balas e estilhaços de granadas, em cruzes e rosários.

“Na Síria – escreve ela à AIS – as consequências de uma guerra interminável são agravadas por sanções econômicas que incluem o embargo do petróleo. Também aqui a Igreja oferece às comunidades cristãs uma ajuda sem a qual elas não poderiam sobreviver, especialmente aos mais fracos e aos doentes”.

Duas situações diferentes, um mesmo sofrimento e a mesma necessidade desesperada de ajuda. Por isso, a AIS respondeu com projetos concretos ao apelo dessas duas missionárias.

“Neste Natal – escrevem Ir. Patrizia e Ir. Arcangela aos benfeitores italianos – apelamos ao seu bom coração, na esperança de que queira realizar boas obras em favor dos milhares de irmãos na fé na Síria e na Venezuela. Um Santo Natal desde Aleppo e La Guaira para você e suas famílias em nossa amada Itália!”

Por Vatican News

Comentários

*O Católico Digital não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Newsletter

Cadastre-se e receba as últimas notícias do Católico Digital diretamente em seu e-mail!