Paróquias

8º Festa de São João Batista ocorre de 15 a 24 de junho em Itu

Católico Digital › 14/06/2018

A Paróquia São João Batista celebra de 15 a 24 de junho as festividades em louvor ao seu padroeiro, em Itu (SP).

A programação religiosa conta com missas durante a semana, às 19h30, aos sábados, às 18h e aos domingos, às 9h30 e 18h. A tradicional procissão de São João Batista ocorre no dia 24 de junho, às 17h, seguida de missa solene.

Já a comemoração social da festa, acontece nos dias 16, 17, 23 e 24 de junho, com diversas barracas, quadrilha junina e shows em todos os dias da quermesse.

Confira a programação completa:

16/06 (sábado) 
18h: Missa com os Jovens

17/06 (domingo) 
9h30: Missa com os Enfermos
18h: Missa de Avivamento

23/06 (sábado) 
18h: Missa com as Famílias

24/06 (domingo) 
9h30: Missa com as Crianças
17h: Procissão, seguida de Missa em louvor à São João Batista

A Paróquia São João Batista está localizada à Rua Dino Bordini, nº 107, no Parque das Indústrias, em Itu (SP).

Mais informações pelo telefone (11) 4025-9014.

São João Batista

No dia 24 de junho, a Igreja celebra a festa da natividade de João, o batista. De todos os santos, João é o único do qual celebramos o nascimento. Todos os outros têm a festa celebrada no dia da morte. Conta a tradição que quando João nasceu sua mãe teria acendido uma grande fogueira para anunciar o nascimento do bebê. Assim, sua prima Maria poderia saber do acontecido mesmo de longe, ao ver o sinal de fumaça no céu.

João nasceu de Isabel, que era prima de Maria, mãe de Jesus. De acordo com os evangelhos, João foi o precursor do ministério de Jesus. Ainda no ventre da mãe, João alegrou-se com a chegada de Maria. Foi ele quem batizou Jesus nas águas do rio Jordão e apontou para seus discípulos o “Cordeiro de Deus”.

Os evangelistas apresentam João como precursor do Messias. O dia de seu nascimento é chamado de “Aurora da Salvação”. João inicia sua missão alguns anos antes de Jesus iniciar a sua própria missão.

Ele era um filho muito desejado por seus pais, Isabel e Zacarias, ela estéril e ele de origem sacerdotal e já com idade bem avançada. Conforme a indicação de Lucas, Zacarias recebeu o anúncio do anjo de que seria pai. Duvidou e ficou mudo. Isabel, confiante, gerou João, o último profeta. O menino foi crescendo e fortificando-se em espírito e viveu nos desertos até o dia em que se apresentou diante de Israel.

Com palavras firmes, pregava a conversão e a necessidade do batismo de penitência. Anunciava a vinda do Messias prometido e esperado. Sua originalidade era o convite a receber a purificação com água no rio Jordão, prática chamada batismo. Daí o seu apelido de Batista.

Ele morre degolado sob o governo do rei Herodes Antipas, por defender a moralidade e os bons costumes. O seu martírio é também celebrado na liturgia da igreja.

Comentários

*O Católico Digital não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Newsletter

Cadastre-se e receba as últimas notícias do Católico Digital diretamente em seu e-mail!