Estilo de Vida

“Microafirmação”: o hábito que demonstra respeito pelo outro

Aleteia › 29/01/2019

Quanto mais praticamos as “microafirmações”, mais automáticos e frutíferos se tornam esses pequenos gestos

Quando eu era criança, quando não via o meu pai dentro de casa, bastava procurá-lo no galpão dos fundos, e o encontrava ali cercado por serragem, sempre fazendo algo interessante – bastões de beisebol, peças de xadrez.

E ele sempre estava ouvindo programa esportivo no rádio. Mas quando ele olhava por cima da lixadeira ou da serra de mesa e me notava na porta, ele sempre, quase automaticamente, aproximava-se e desligava o rádio. Mesmo se eu não tivesse nada a dizer, e mesmo que não estivesse planejando ficar lá.

Mesmo com 10 anos de idade, entendi que isso era um gesto de amor. Ele estava abrindo espaço para mim. Ele estava me oferecendo toda a sua atenção, mesmo que eu não estivesse procurando por ela.

O termo “microagressão” é usado para significar todos os tipos de coisas, mas seu uso mais geral, coloquial, refere-se a uma ligeira sutileza que você faz, talvez não intencionalmente, mas que envia uma clara mensagem de desrespeito. Microagressões podem realmente doer.

Meu pai estava fazendo o oposto. Desligar o rádio quando eu entrava era uma “microafirmação“. Pode ter sido algo pequeno, mas transmitiu algo enorme: você é importante para mim. Agora que estou ciente disso, estou vendo microafirmações em todos os lugares. Estes são alguns dos mais fáceis que podemos construir em nossas vidas diárias que são mais poderosas do que parecem pela primeira vez.

Use nomes das pessoas

Ouvir seu próprio nome se destaca no cérebro como algo diferente de qualquer outra palavra. Quando eu trabalhava como caixa de banco, fomos treinados para usar o nome de um cliente pelo menos três vezes em uma interação – no começo parecia impossível, mas quanto mais eu fazia, mais eu percebia que isso fazia uma grande diferença para as pessoas. Elas sempre pareciam apreciar isso. É uma maneira de tornar qualquer interação mais pessoal.

Pergunte

Você já contou a um amigo tudo sobre algo importante para você, e apenas receber um aceno de cabeça? É um pouco desanimador. Fazer algumas perguntas em resposta a algo que alguém está lhe contando é uma maneira de demonstrar que você está realmente ouvindo.

Espelhe a emoção da outra pessoa

Você não precisa fingir ser algo que não é, mas responder ao entusiasmo com alegria e tristeza com empatia faz mais do que as palavras podem fazer para mostrar a alguém que você realmente as vê.

Responda às “propostas”

John Gottman, pesquisador de relacionamentos, diz que os casamentos mais fortes são construídos quando os cônjuges fazem questão de responder às “indiretas de conexão” do parceiro. É tão simples quanto perceber que seu parceiro está buscando uma interação com você e usar o momento para mostrar a ele/ela, ainda que de forma breve, que você se importa. E isso é tão poderoso entre amigos quanto entre marido e mulher.

A “microafirmação” é honestamente uma maneira fácil e direta de se tornar mais solidário, mais amoroso e respeitoso com as pessoas em nosso mundo.

Por Aleteia

Comentários

*O Católico Digital não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Newsletter

Cadastre-se e receba as últimas notícias do Católico Digital diretamente em seu e-mail!